• 11 de outubro de 2011 --------------- Deixe um comentário



    Sabe quando voce percebe que tem algo errado, mas que não vê nada de errado
    mas senti que há sim, algo errado . Assim estava eu naquele momento… não  sei se era apenas impressão minha, ou algo estava para acontecer comigo.
     Não podia ver, mas podia sentir … Por fora estava bem, mas por dentro ….  me sentia em pedaços, como se cada sorriso meu, fosse apenas uma reação tentando esconder uma possível lágrima, que não havia em mim, mas fora como se estivesse em uma plena crise de choro constante .
    Tentava não pensar nisso, mais mesmo com os minutos, eu não esquecia aquela sensação que tanto me atormentava .Tentei sair, fui andar a noite … olho  do lado e vejo olhares tristes na face das pessoas, o que será que estava acontecendo com elas? não  podia cessar a minha tristeza, quanto mais a dor alheia . Me recordo de uma melodia ao longe. Onde havia um menino encantado e estranho, e um dia ele cruzou meu caminho, e me falara do amor, como se fosse a única coisa a se pensar na vida, e ele me disse que : a coisa mais importante que se pode aprender é amar, e em troca amado ser .
    Ouvindo isso, me fez mudar um pouco tudo que sentia .
     Fui caminhando, sem rumo certo, até que cheguei em um parque, lá pude sorrir, não só por fora mas, por dentro . Comecei a me sentir muito bem… aos poucos fui entendendo que toda aquela angústia não passava de pura preocupação tola da minha parte, e que as vezes, nos apegamos tanto aos nossos momentos de tristeza que esquecemos de nos dar um tempo para tudo,e ver se realmente á necessidade de tanta angústia e aflição .
    Nem eu sabia, o porquê de tanta preocupação…. só sei que tudo que sentia naquele momento fora totalmente e completamente forte e confuso .
    Ao vir para casa, vim pensando ainda mais em tudo que sentia…. não sabia se era bobeira ou se era um aviso realmente do que pudesse me acontecer . Lembro-me que chegando em casa, sentei-m e olhei para um ponto neutro, sem pensar em nada, achei graça de mim mesma, como pode alguém se preocupar com algo que nem existe ainda, e que talvez nem venha a existir, tanta confusão só me deixara mais confusa e atônica comigo mesma . No fim…. resolvi parar de pensar e ir toma um banho e deita um pouco, para ver se ao acordar, eu me sentia melhor, ou pelo menos neurótica . Se sentir confusa, sem um caminho a seguir é estranho mais ao mesmo tempo compreensivo, pois, ficar confusa, também é um caminho .
    Quer ler o post completo ? Venha ao Fala,Dantas e
    me diga o que achou!