• 17 de setembro de 2018 --------------- Deixe um comentário

    CUIDADOS BÁSICOS COM BOX BRAIDS

    E aí kenguianes, tudo bem com você? Vamos começar a semana com inspirações de box braids e é claro dicas de como mantê-las. Confesso que estou bem tentada a aderir nem que seja por uns dias essa mudanças, mas meu couro é bem sensível. Será que isso interfere? Qual o melhor material? Qualquer um coloca? Doí muito?

    CUIDADOS BÁSICOS COM BOX BRAIDS

    Essas e outras dúvidas serão sanadas aqui abaixo e com certeza você ao final da leitura vai procurar uma trancista para fazer a sua.

    CUIDADOS BÁSICOS COM BOX BRAIDS

    Reprodução

    ESCOLHA O MATERIAL CERTO PARA FAZER AS TRANÇAS

    Primeiramente o uso das braids pode pesar um pouco a cabeça dependendo da fibra utilizada, da quantidade de tranças e da grossura delas. No entanto este problema pode ser resolvido já na escolha do material.

    CUIDADOS BÁSICOS COM BOX BRAIDS

    Fibra / Lã / Jumbo

    A é bem leve e usada principalmente pelos homens. Elas não tem o mesmo brilho das fibras sintéticas e o resultado remete aos famosos dreads. Já a fibra mais tradicional pode ser pesada, por isso tem perdido espaço para uma uma versão melhorada conhecida como jumbo.  O Jumbo além de ser mais leve, oferece uma variedade de cores bem maior do que a fibra tradicional.

    COMO LAVAR AS BOX BRAIDS

    Você pode lavar as box braids até três vezes na semana. A única dica aqui é utilizar somente o shampoo, pois o condicionador deixa os fios mais oleosos, além de deixar o material sintético mais escorregadio e desmanchar as tranças mais facilmente.

    CUIDADOS BÁSICOS COM BOX BRAIDS

    Na hora de secar ao contrário de qualquer outro tipo de cabelo, a secagem natural não é recomendado. Isso porque pode acabar acarretando o aparecimento de fungos e mofo na suas tranças. A melhor saída é sempre secar os fios com o secador.

    Na hora de aplicar o shampoo, não esfregue os cabelos, senão você vai acabar estragando o seu trabalho.

    COMO TIRAR AS TRANÇAS AFRO?

    Antes de retirar-las é preciso cortar as pontas. Se você optou pelas tranças solta, decerto você vai precisar corta uma boa parte da trança para daí poder desmanchar.

    CUIDADOS BÁSICOS COM BOX BRAIDS

    Reprodução

    Mas tenha cuidado para não cortar o seu cabelo junto com a  trança sintética.

    COMO DORMIR COM AS BOX BRAIDS

    Na hora de dormir envolva as tranças em uma touca de seda ou aquelas feitas com meia-calça. Se você já tem o habito de touca de cetim vai entender o porque. além de evitar o frizz a touca deixará suas tranças mais bonitas por muito mais tempo.

    DIVERSOS PENTEADOS COM AS TRANÇAS

    Os dreadlocks, as tranças rastafari, e agora o box braids estão com tudo e não podemos negar. Esse estilo além de lindo, tem toda a liberdade de fazer diversos penteados ou usá-los soltos mesmo. Portanto não tem desculpas para fazer as tranças. Confira alguns penteados estilosos com as braids.

    CUIDADOS BÁSICOS COM BOX BRAIDS

    Reprodução

    Dá pra usar as tranças de diversas maneiras, tamanhos e cores. Cabe a você ter criatividade e identificar o que mais combina com vocês.

    AS TRANÇAS AJUDAM NA TRANSIÇÃO CAPILAR?

    Certamente que sim! Se você pretende passar pela transição capilar ou já está passando e etá sendo difícil: Coloque as tranças. As tranças vão camuflar as texturas diferentes da transição e caso você queira fazer o BC completo, fique a vontade.

    CUIDADOS BÁSICOS COM BOX BRAIDS

    Reprodução

    As tranças podem ser colocadas em diversos tamanhos e o seu cabelo precisa estar com no minimo de quatro a cinco dedos para receber o material da trança sintética.

    CONFIRA MAIS INSPIRAÇÕES DE BOX BRAIDS

    CUIDADOS BÁSICOS COM BOX BRAIDS

    Reprodução


    VEJA TAMBÉM

    Agora que já entendeu um pouco mais sobre as tranças afro, aproveite e crie sua rotina capilar em casa com as melhores dicas para um detox.

    DETOX CAPILAR: ROTINA CAPILAR EM CASA

    AGORA É SUA VEZ: TEM VONTADE DE FAZER BOX BRAIDS?

    VAMOS SER AMIGAS! Me segue no Instagram @faladantas, que tem dicas todos os dias.
    Temos um grupo do FalaDantas no F00acebook onde tiro duvidas, pergunto o que querem ver e tudo mais!
    CLIQUE PRA SE INSCREVER NO CANAL

    25 de maio de 2018 --------------- 2 Comentários

    COLOCANDO A AUTOESTIMA LÁ NO ALTO

    Ê mulher! Hoje vou trazer para vocês a história da Larissa Santana, que passou por um processo de aceitação e valorização do seu tipo de cabelo e corpo. Uma mulher extremamente empoderada, cheia de autoestima e quer ter ajudar. Vem conferir!

    COLOCANDO A AUTOESTIMA LÁ NO ALTO

    MINHA HISTÓRIA DE AUTOACEITAÇÃO

    Olá meu nome é Larissa, sou de Salvador-BA.

    Em primeiro lugar, quando pequena era a única de cabelo curto e crespo do grupo de “amigos”. Devido a essas características, as pessoas me chamavam de “cabelo duro”.

    Então fiz mil coisas para mudar o cabelo. Com 11 anos eu dei Guanidina, fiquei messes usando até que começou a cair e fazer buracos no meu cabelo e tive que cortar. Cortei bem baixinho, depois dei progressiva e mas uma vez tive que cortar.

    COLOCANDO A AUTOESTIMA LÁ NO ALTO

    Eu brigava muito com as pessoas porque as piadas me agrediam demais, até que um dia resolvi não ligar mas e me aceitar como crespa e como gorda. Hoje estou em transição há 2 anos, estou super feliz em todos os sentidos e ansiosa para ver como ele estará quando finalmente fizer o BC.

    COLOCANDO A AUTOESTIMA LÁ NO ALTO

    O ritmo de crescimento do meu cabelo é muito devagar, além de ter o bendito do fator muito encolhimento kkkk. Portanto resolve passar pela transição com tranças, para poder ajudar no crescimento!

    Hoje eu vejo que tem existem muitas crianças empoderadas. Sobretudo com a variedade de produtos e pessoas falando sobre o universo crespo e cacheado. Isso é maravilhoso! Ahhhhh como seria bom que na minha infância essa realidade existisse.

    COLOCANDO A AUTOESTIMA LÁ NO ALTO

    Me acompanhe no Instagram @laryi_, beijos!!
    Att, Larissa Santana

    Quero ver sua história e poder conta-la aqui no Fala Dantas. Mande sua história de superação, transição capilar, processo de aceitação, enfim, de tudo que se encaixe no #desafioempoderese para: seguidantas@gmail.com.

    Não esquece de manda fotos relacionadas a esses situações, seu nome, cidade onde vive e suas redes sociais, caso queira divulga-las.

    Ahhhh obrigada Laryi por participar!

    Gostaram do post? Qual a sua história?
    Me acompanhe no Instagram @faladantas e no Facebook @faladantasblog.

    Fotografias: Acervo pessoal de Larissa Santana

    16 de maio de 2018 --------------- 4 Comentários

    COMO PASSAR PELA TRANSIÇÃO CAPILAR

    Ê mulher! Hoje vou trazer para vocês a história da Kleide Naira, que passou por um processo de aceitação e valorização do seu tipo de cabelo e até o seu Big Chop (BC). Uma transição capilar difícil e cheia de altos e baixos. Vem conferir!

     

    MINHA HISTÓRIA NA TRANSIÇÃO CAPILAR

    Oie amore! Sou a Kleide Naira, tenho 23 anos e resido em Salvador-BA.
    Vamos lá para Minha História Capilar?

    Então, sempre fui daquelas que usava aquelas fraldas de pano no cabelo (sim, usava haha), para me senti com cabelo grande e que tivesse balanço (só no imaginário mesmo rsrs). Sempre reconheci meu cabelo como ruim, só andava de tranças feitas pela minha mãe e já estava cansada disso.

    Aos 11 anos, em 2006 eu alisei meu cabelo com guanidina em um salão e a partir dali, eu me senti melhor, porque meu cabelo tinha balanço e estava liso. Era bem chato as vezes ter que sempre está pranchando o cabelo, mas para manter ele liso tinha que fazer isso e alisar a raiz a cada 3 meses.

    TRANSIÇÃO CAPILAR: Kleide Naira e o seu processo
    TODAS AS FAZES DA MINHA TRANSIÇÃO CAPILAR

    No fundo eu achava aqueles cabelos cacheados e com volume muito bonito e depois de alguns anos, procurei saber da minha cabeleireira se meu cabelo poderia ficar cacheado (outro salão) e ela disse que sim.

    Segundo a cabeleireira, isso só seria possível se eu aplicasse no meu cabelo amônia e colocasse bigudinhos* (famoso permanente). Mas para usar essa outra química, eu precisaria deixar de usar guanidina e para o cabelo enrolar melhor.

    Teria que ficar 6 meses sem dar química no cabelo. Sendo assim, passei por uma Transição Capilar em 2011 (mais ou menos) e nem sabia. Nossa como esse período foi ruim! Meu cabelo estava muito ressecado, horrível de se pentear e eu não tinha ideia de como cuidar dele.

    TRANSIÇÃO CAPILAR: Kleide Naira e o seu processo

    Passei por esses 6 meses e após isso fui ao salão dar o permanente, porém fiquei com várias pontas alisadas por conta da guanidina. Tive que cortar, fiquei com o cabelo super curto, e agora era só esperar crescer e sempre que tivesse 3 meses,  deveria voltar ao salão para alisar a raiz e enrolar com o bigudinho*. 

    Enquanto usava amônia, intercalava com o permanente e escova/prancha. Confesso que já estava cansada disso tudo, mas a única solução que encontrava era de usar a amônia, porque adorava (e adoro) cabelo com volume e quando comecei a assistir vídeo sobre BC, transição, cabelo crespo (que nem sabia que existia).

    Desde então, fui me encontrando sabe? Fui percebendo que o cabelo daquelas meninas eram naturais e eu pensei ”Será que o meu ficaria assim?; Será que meu cabelo natural é assim?”. Portanto, fui reparando na minha raiz e no cabelo que ali nascia. Eram cachinhos bem pequenos, mas que minha cabeleireira, ela dizia que é era ”nó”. Como pode isso?

    DECIDI FAZER A TRANSIÇÃO CAPILAR

    Em Agosto de 2015 eu decidi passar pela transição capilar, sendo que já tinha uns 3 meses sem alisar a raiz.

    E essa foi uma das melhores decisões da minha vida.

    TRANSIÇÃO CAPILAR antes e depois

    Todo esse processo desde que alisei meu cabelo aos 11 anos, durou até meus 21 anos. Não me arrependo de ter alisado, pois aprendi muito com isso tudo e hoje tenho 1 ano e 11 meses de BC. Fiquei quase 10 meses em Transição Capilar e só cortei todas a parte alisada quando eu me senti preparada e quando eu quis mesmo. 

    Agora percebo que sempre tive o cabelo que quis ter, mas por falta de informação, o escondi atrás de uma química. Eu me reconheci linda com o meu cabelo natural, sendo a minha maior inspiração.

    Obs: Não tenho foto exatamente dos meus 11 anos, mas desde de lá que aliso. 

    A TRANSIÇÃO CAPILAR MUDOU MINHA VIDA

    Se me perguntarem: O que mudou na sua vida depois que você se aceitou?
    R: Não diria que mudou, mas que me completou. Sempre me senti incompleta e era isso que faltava em mim. Reconhecer meu cabelo natural e assumir ele pra mim mesma, era o que faltava para me completar.

    TRANSIÇÃO CAPILAR: Kleide Naira e o seu processo

     

    Obrigada pela oportunidade de poder contar um pouco da minha história amores.
    Me acompanhe no Instagram
    kleidenairaXeruh!!
    Att, Kleide Naira

    Quero ver sua história e poder conta-la aqui no Fala Dantas. Mande sua história de superação de momentos difíceis, transição capilar, processo de aceitação, enfim, de tudo que se encaixe no #desafioempoderese para: seguidantas@gmail.com.

    Não esquece de manda fotos relacionadas a esses situações, seu nome, cidade onde vive e suas redes sociais, caso queira divulga-las.

    Ahhhh obrigada Kleide (a catalogada) por participar!

    Gostaram do post? Qual o seu penteado favorito?
    Me acompanhe no Instagram faladantas e no Facebook faladantasblog.

    Fotografias: Acervo pessoal de Kleide Nara